Memória Duke - Meio Ambiente Usina Chavantes - Miguel Conrado Filho

Miguel Conrado Filho

"Meu nome é Miguel Conrado Filho. Sou paulistano. Nasci em São Paulo em 06 de julho de 1966. Isso quer dizer que meu aniversário está próximo. Minha família é toda de São Paulo. Minha mãe tem origem italiana e meu pai é brasileiro. Tenho dois irmãos. Uma irmã fonoaudióloga e um irmão fotógrafo.

Passei minha vida inteira em São Paulo, onde fiz faculdade. Era funcionário da Cesp e, no final de 1999, fui convidado, assim como todos os membros da minha área - que era meio ambiente -, para me apresentar aqui em Chavantes, no interior do Estado de São Paulo. Isto aconteceu no momento em que a Duke Energy comprou a concessão da Cesp. A partir de então, todas as áreas operacionais que funcionavam na capital paulista foram transferidas para cá. Assim, estou aqui em Ourinhos desde o dia 1º de fevereiro de 2000.

(...)  Sempre atuei na área de meio ambiente. Logo que me formei, comecei a trabalhar com fauna, depois ampliei meus conhecimentos passando a atuar com licenciamento de empreendimentos e entrei no setor elétrico. Hoje represento a Gerência de Meio Ambiente.

O início de minha carreira profissional também foi bem interessante. Quando entrei no curso de Biologia pensava simplesmente em fazer pós-graduação e seguir carreira acadêmica. Mas no último ano da faculdade havia uma disciplina ligada à Ecologia, na qual o professor sempre convidava profissionais de empresas para falarem sobre seus trabalhos. Na época, o convidado foi o Gerente de Meio Ambiente da Cesp.

Quando ouvi sua experiência pensei "é ali que quero trabalhar". Fui me informar logo que a palestra terminou. Lembro que ele me explicou que havia um programa de estágio na Cesp para formados e alunos do último ano. E assim eu fiz. Entrei neste estágio e comecei a trabalhar lá, na época, no Setor de Fauna e Flora e, como tinha especialização na faculdade em Fauna, entrei como estagiário responsável por esta área. Depois fui efetivado, ainda trabalhando com fauna e fui ampliando meus conhecimentos e processos.

Resumindo, tudo começou com uma visita à faculdade de um profissional que ocupava a vaga que ocupo hoje na Duke. Foi assim que me veio o interesse por trabalhar numa empresa do setor elétrico. Hoje brinco um pouco dizendo que na época em que comecei a trabalhar eu ainda era biólogo. Hoje sou biólogo apenas pela formação, porque acabei perdendo um pouquinho o contato mais intenso com a área.

Para a realização de um empreendimento referente à usina hidrelétrica, são necessários estudos antes e após o enchimento dos locais. Então, na Cesp, realizávamos todos os estudos de acompanhamento de fauna, fauna ameaçada de extinção e programas específicos.

Naquela época tive o prazer de capturar onças dentro de um programa específico de captura e recolocação de onças na construção do Reservatório de Porto Primavera, assim como outras ações voltadas a outros animais com risco de extinção. Depois me especializei em aves e fauna. Participei, tanto na Cesp quanto no começo na Duke, de trabalhos de captura, marcação e acompanhamento para ver qual era o impacto da implantação do reservatório na vida destes animais. Foi um trabalho muito interessante e envolvente, que gerou relatórios e outros trabalhos, inclusive científicos. Sinto muita saudade - principalmente dos trabalhos de campo-, embora goste muito do que faça hoje." (Trechos da entrevista realizada em 03/07/2012)